O Mais Bonito dos Outonos C.1

Atualizado: Mai 5


Olá!!

Trago-lhes mais uma história que eu espero que vocês gostem <3333

A sinopse está logo embaixo e depois a história que terá mais que um capítulo!

Amo vocês e obrigada pelo apoio sempre <33

Não se esqueçam de votar nesse post e também deixar um comentário legal no final <3333


XXXXXXXXXX





Sinopse: Kim Taehyung é um advogado de vinte e oito anos, recém divorciado, que agora precisa cuidar de seus três filhos; os gêmeos Momo e Minseok, de cinco anos, e a pequena Ryujin, de somente dois.

Devido ao grande ao grande conflito e dificuldade de cuidar dos filhos sozinho e ainda trabalhar em um escritório puxado de advocacia, Taehyung recebe o conselho de arrumar uma babá e assim conseguir trabalhar melhor e por mais tempo enquanto as três crianças são bem cuidadas.

Depois de muito refletir, e ter um grande incentivo por parte de Seokjin, seu irmão mais novo, o Kim conhece Jeongguk, o adorável garoto de vinte e um anos que adora crianças e precisa do dinheiro para terminar de pagar a faculdade de pedagogia.





Capítulo 1-


O verão estava bastante próximo de acabar, Momo e Minseok brincavam dentro da pequena piscininha de plástico montada em cima do gramado da casa de seu pai. Os dois, irmãos gêmeos, brincavam com seus brinquedos ali dentro da água, uma barbie sereia toda descabelada, dinossauros de borracha, um ursinho de pelúcia rosa que depois Taehyung teria que lavar direito para não ficar encardido e bloquinhos de plástico que os dois usavam para fazer as mais diversas construções.

Não tão distante de onde as duas crianças brincavam animadas, estava o próprio Taehyung, Hoseok, um de seus melhores amigos, Namjoon, seu outro melhor amigo, e Seokjin, seu irmão dois anos mais novo, que segurava a pequena Ryujin vestida com um sutiã de biquíni e um shortinho do baby shark por cima da fralda.

Os quatro adultos estavam bebendo, era sábado, um churrasco simples estava sendo feito no quintal de Taehyung para comemorar a nova filial da concessionária que Namjoon e Hoseok conseguiram abrir em Gwangju.

Os quatro eram amigos há anos, estavam bem felizes e decidiram comemorar na casa do próprio Taehyung, podendo incluir os filhos do único ali entre os quatro que já tinha se casado, porém, também era o único que também já tinha se divorciado.

— Papai, melancia, papai — Momo resmungou puxando a ponta da blusa de Taehyung que estava parado em frente a grelha, mexendo em alguns pedaços de carne. Mas logo o homem olhou para a própria filha, a vendo apontar para a vasilha de plástico cheio de pedaços de melancias docinhas que queria comer — por favor.

— Tudo bem, calma.

Taehyung pegou um pratinho de plástico que já estava ali, colocou alguns dos cubinhos da fruta e segurou a mão da pequena Momo, caminhando com ela pelo gramado até a piscininha infantil onde Minseok tentava afogar com muito empenho um de seus dinossauros.

— Minseok, aqui, vem comer um pouco com a sua irmã — falou calmo enquanto colocava a menina sentadinha na grama, segurando o pratinho, rapidamente começando a ser acompanhada pelo próprio irmão que se juntou a ela, pegando um dos cubinhos para enfiar na boca com intensidade.

Momo usava um maiô roxo que tinha ganhado da própria mãe no início daquele mesmo verão, e Minseok usava uma sunguinha azul clara com alguns peixinhos amarelos ao redor dela.

Taehyung levantou-se, foi até o murinho que separava a pequena varandinha da casa com o quintal, e pegou o protetor solar, voltando até os dois filhos para passar o creme em seus ombros, costas, rostos, braços e pernas. Já havia sido descuidado uma vez e Momo chorou por vários dias devido a pele ardida demais, e para uma criança, aquilo era perigoso.

— Comam tudo, e só depois podem voltar para a piscina — deu a ordem de forma calma, prendendo melhor o cabelo de Momo que já estava todo embolado.

— E a Ryujin, papai? — Minseok perguntou com a boca cheia, o suco da melancia escorrendo um pouco pelas laterais de seus lábios pequenos.

— O tio Jin vai dar melancia pra ela também, Minseok — comentou mostrando um sorriso e recebendo dois de volta, levantando-se e vendo a bonita imagem dos filhos saboreando os cubinhos de melancia que estava bem docinha, as perninhas esticadas e as bundinhas grudadas na grama.

Taehyung voltou até onde os amigos estavam bebendo e rindo de algum assunto que deveria ter perdido, deu o protetor solar para Seokjin que estava sentado em uma cadeira de balanço com Ryujin em seu colo, brincando com uma alpaca de pelúcia.

— Passa nela, por favor — pediu ao voltar a pegar o próprio copo de cerveja, tomando um gole generoso da bebida gelada, sentando-se na cadeira ao lado de Hoseok.

Estavam no fim do verão, Taehyung queria aproveitar bem os restinhos daqueles dias ensolarados e desfrutar do clima gostosinho com seus filhos no quintal, deixando-os brincar com água como tanto gostavam, e como também havia prometido aquilo para as crianças já tinham certos dias, e a cobrança era feita diariamente.

— E como está a Mina? — Foi Hoseok quem perguntou sobre a ex mulher do Kim, vendo-o dar os ombros meio simplista antes de responder qualquer coisa, não mantendo nenhuma irritação no olhar por ver aquele assunto surgindo de repente.

— Não falo com ela já tem uma semana, foi quando ela ligou para cá querendo falar com eles — mirou os olhos rapidamente nos dois filhos que já terminavam suas melancias, os dedos pequenos e rechonchudos todos melados — mas eu sei que ela anda bem ocupada, e ainda é um pouco estranho pensar que ela é minha ex mulher…

— Mas se ela quisesse voltar, você aceitaria? — Namjoon perguntou rouco antes de tomar um gole bem generoso de sua lata de cerveja, terminando com toda a bebida e então colocando o objeto vazio ao pé da cadeira em que estava sentado.

Hoseok se levantou para virar mais uns pedaços de carne na churrasqueira, mas mostrava-se bem atento ao que o amigo iria falar.

Eles sempre faziam aquela mesma pergunta de tempos em tempos porque Taehyung era um homem mais sensível que os outros três, sempre fora muito próximo da ex mulher, muito apaixonado por ela.

— Não, lógico que não… Nossa relação esfriou muito, eu reconheci isso depois da psicóloga… E eu sei que ela estava super infeliz sendo mãe, sempre foi algo que eu quis, uma família, Mina queria conhecer o mundo, queria trabalhar em vários países, ser totalmente independente — soltou o ar pelo nariz, ficando alguns segundos em silêncio — ainda temos muito carinho e respeito um pelo outro, ela me deu três filhos lindos, mas o nosso casamento não era mais feliz, eu também não era, percebi isso — mordeu o lábio inferior por somente breves instantes — mas eu passei seis anos casado com ela, oito anos juntos contando o namoro… É estranho pensar e entender que ela não é mais nada minha, sinto saudade dela pela casa com aquele jeito irritado pela manhã, porém bem animada a noite, sempre querendo maratonar séries — soltou uma pequena risada — mas não desejo voltar, são somente boas lembranças.

Namjoon balançou a cabeça positivamente por alguns segundos, mostrando um sorriso bonito e gentil para o amigo, entendendo o lado dele, tentando entender o que ele sentia, e ficando feliz por ver Taehyung sem rancor ou mágoas. Mostrando superar o tempo difícil para ele que havia sido o divórcio, o baque que sentiu no dia em que Mina disse que desejava se separar.

Hoseok entregou um potinho com alguns pedaços de carne para Taehyung e então deu simples dois tapinhas no ombro dele.

— Fico feliz por isso, Tae, mas já tem três meses que você oficialmente se divorciou perante a lei, tem tecnicamente nove meses que você e a Mina não estão juntos, como vai seu coração? — Hoseok perguntou calmo, também tomando um gole de cerveja.

— Ah, vocês sabem anda se matando pra conseguir dar conta de três filhos sozinho e ainda trabalhar naquele escritório que só sabe sugar a alma dele — Seokjin quem respondeu a pergunta, levantando-se com Ryujin no colo, levando a menina até uma pequena toalha forrada no gramado, colocando-a sentada ali enquanto ia até o muro da varanda guardar o protetor que já tinha passado nela. Voltou e caminhou até o cooler, tirando o copinho roxo de alça e bico que Ryujin amava usar para tomar suco — eu tenho que sempre vir ajudar ele por conta da Ryujin, e porque ele tem que ir trabalhar em algum tribunal da vida e não pode os deixar sozinhos.

— Não trabalho em nenhum tribunal da vida, Jin — Taehyung resmungou revirando os olhos para o irmão mais novo pra lá de folgado que só se tornava mais tolerável por conta da grande ajuda que ele lhe dava e por ser um ótimo padrinho para Ryujin.

Namjoon era o padrinho de Minseok, e Hoseok o padrinho de Momo.

Os três mimavam as três crianças demais.

— Mas você vai a vários tribunais e eu quem tenho que cuidar deles — resmungou, por mais que amasse incondicionalmente os três sobrinhos, e a afilhada, Jin tinha uma vida. Estava quase terminando mais um semestre da faculdade de odontologia, ganhou um aumento no trabalho e podia jurar que estava se apaixonando pela atriz do novo dorama que estava vendo… E muitas vezes tinha que adiar certos compromissos, saídas com os outros amigos, encaixar seus horários de estudo para poder ajudar o irmão com os filhos…

— Eu já falei, contrata uma babá — Namjoon falou sério, tomando um gole de outra lata de cerveja que Taehyung nem o viu pegar antes.

Namjoon era o que mais bebia dentre os quatro, e o que mais rápido fazia aquilo sem que os demais percebessem. Somente depois notavam a quantidade de latinhas ou garrafas vazias ao seu lado.

— Não quero deixar uma pessoa estranha com meus filhos assim — resmungou, reprovando a ideia rapidamente como sempre, nem querendo pensar ou cogitar o assunto.

— E vai ficar aí, se matando de trabalhar em casa sem poder dar atenção direito a eles? Se prejudicando no trabalho por nem sempre conseguir alguém pra cuidar deles e ter que perder reuniões ou pior, perder casos? Chamando o Jin toda hora como se ele fosse a babá de emergência? — Hoseok foi pontuando vários tópicos realmente falhos que estavam ocorrendo na vida do Kim, de fato Taehyung estava dando o seu melhor, mas estava prejudicando os dois lados por estar fazendo as coisas daquele modo.

— Mas eu não gosto dessa ideia, deixar alguém aqui, com eles, sozinhos, e se me roubar? E se fizer mal a eles? — Foi falando, mais preocupado. As três crianças eram tudo em sua vida, quis tanto ter filhos… Agora não suportava a ideia de não conseguir os criar, não queria aceitar que um estranho cuidasse delas, que fosse um pai postiço para elas somente porque Taehyung tinha que ir trabalhar.

— Se fizer qualquer coisa de ruim você sabe que a Momo vai ser a primeira a contar tudo — Jin resmungou, lembrando-se bem de quando a sobrinha ligou para o próprio pai na discagem direta de emergência salva no telefone da casa, para contar que Seokjin estava pedindo pizza de janta para eles e aquilo era contra as regras do dia de semana.

Taehyung soltou uma risadinha, cheio de orgulho da filha que aprendia rápido tudo o que tinha que fazer caso as coisas não estivessem em ordem. Era bem mandona e com fortes traços de controle que havia puxado da própria mãe.

— Mesmo assim…

— Olha, não estamos falando pra chamar qualquer estranho na rua não, Taehyung, pelo amor de Deus — Hoseok retrucou revirando os olhos e pegando vários pedaços de carne para enfiar na boca, mastigando de boca cheia — procura uma pessoa bem recomendada.

— Meu ciclo de amizade são vocês, e eu não vou sair perguntando no trabalho “alguém pode me recomendar uma babá?” — bufou, bem descontente com tudo aquilo.

Ryujin soltou uma risadinha linda assim que viu um passarinho pousar no muro da varanda, parecendo um enfeite ali.

— Mas eu posso te recomendar um bom ué — Namjoon comentou colocando mais uma latinha vazia ao lado da própria cadeira, ajeitando-se melhor enquanto olhava diretamente para o rosto do melhor amigo — ele é babá d-

— Homem? Babá homem? Nem fodendo eu deixo um homem aqui com meu-

— Deixa eu terminar, caralho — Namjoon reclamou revirando os olhos — ele é ótimo, é babá daqueles filhos da minha prima, lembram? Aquela que os filhos são tudo atentado e vivem brigando…

— Nossa, essas crianças — Hoseok comentou colocando a mão no rosto, realmente se lembrando de quando conheceu a tal prima de Namjoon e os filhos dela conseguiram estressar quase todos na festa por conta da falta de educação.

— Pois é, minha prima recebeu uma indicação de duas mulheres sobre esse mesmo garoto, ela aceitou e agora os pestinhas lá estão bem melhores! — Comentou mais empolgado — minha prima diz que esse garoto é ótimo, ele, pelo o que entendi, cursa pedagogia e ama crianças, então é babá pra ter dinheiro para pagar essa faculdade, vocês tem que ver como minha prima baba o ovo dele, até aquele chato do marido dela gostou do garoto e elogiou sobre como ele é reservado, carinhoso com os filhos deles…

— Aí, Nam, não sei não — Taehyung coçou a nuca. Ainda era um cara, e aquilo lhe incomodava um pouco, o deixando com vários pés atrás.

— Só tenta conhecer ele, se não gostar, te ajudo a achar outra pessoa, mas só tenta dar uma chance — resmungou mais sério, insistindo naquilo porque sabia que faria bem ao amigo.

— Tudo bem, vou ver… — comentou sem muita seriedade, querendo mudar de assunto.

E agradeceu demais quando Momo e Minseok surgiram à sua frente, querendo comer um pouquinho de carne também, e é lógico, Hoseok logo se levantou para tentar impressionar as crianças com suas habilidades na churrasqueira, jogando um pouco de água no carvão quente somente para a fumaça subir e arrancar risadas empolgadas dos gêmeos que acharam aquilo uma das coisas mais legais que já haviam visto no mundo da culinária.

Ryujin continuou rindo para o passarinho e depois focou em brincar com um elefante e a mesma alpaca de pelúcia em cima da toalha em que estava.

[...]

Seokjin colocou a própria afilhada dormindo com cuidado em cima do sofá, deixando uma almofada ao lado dela para que a impedisse de cair caso se mexesse demais. Não que Ryujin realmente se mexesse muito, mas era apenas um cuidado que todo mundo sempre teve com crianças tão pequenas quanto ela.

Momo e Minseok já tinham tomado banho e agora colocavam os próprios brinquedos espalhados da sala dentro da caixa organizadora ao lado da mesinha de centro, entulhando tudo ali dentro sem nenhuma preocupação.

Taehyung estava colocando as vitaminas nos dois copos dos gêmeos antes de voltar a lavar a louça suja dentro da pia, levando os dois copos até a sala, colocando-os em cima da mesa.

— Podem beber quando terminarem de guardar as coisas, e podem ver televisão lá no quarto do papai, o tio Jin e eu vamos conversar aqui. — Informou beijando o topo da cabeça de Minseok que estava mais perto de si. Recebeu acenos positivos e então voltou para a cozinha que era ligada à sala em questão, tendo um espaço mediano entre os dois que dava aos corredores para acesso a outros cômodos da casa, e então o balcão largo da cozinha.

Voltou a lavar a louça, vendo o irmão ir guardando o que já tinha sido limpo.

— Sabe que os rapazes têm razão, né? — Jin perguntou depois de alguns minutos em silêncio, tendo esperado o momento certo em que as duas crianças pegaram seus copos de plástico e foram para o quarto do pai.

Era bem capaz que Momo quem ligasse a televisão e ela sozinha fosse escolher o que iriam assistir. Minseok seguiria apenas a onda da irmã mais oito minutos mais velha.

— O que?

— Da babá, Hyung — Jin comentou mais sereno, guardando os pratos em seu devido lugar, fechando a porta do armário e então mirando seus olhos bem pretos para os castanhos escuros de seu irmão mais velho que agora tinha os fios de cabelo em tom de mel — sei que não gosta dessa ideia, mas sabe que você precisa dessa ajuda.

— Ah, Jin — já foi soltando resmungos insatisfeitos por conta daquele assunto sendo retomado, queria somente esquecer aquilo — eu disse que ia pensar e-

— E você acha que o mundo vai parar enquanto te espera pensar, Hyung? — Perguntou e logo levantou uma das sobrancelhas, e o Kim mais velho rapidamente mirou seus olhos no irmão mais novo, surpreso com aquela fala sendo proferida de uma forma mais ríspida. — Vai chegar um momento que ou você vai ser demitido, ou vai perceber que está perdendo de verdade o crescimento dos seus filhos… Porque mesmo estando em casa, seu foco e sua mente está todo no seu trabalho.

Taehyung olhou para baixo, a pia ainda com algumas louças sujas, suas mãos